quinta-feira, 22 de maio de 2008

É que.

À noite, dobro aquela esquina e me sinto em casa. É uma coisa muito maravilhosa. Porque demorou, hein? Um bocado. E logo ali, naquele pedaço, tem um vento bom danado, que vem do mar e assanha meu cabelo. Só pra lembrar do que faz bem e começar o dia.
Hoje, acordei assim toda saudosa e com vontades que vão ter que esperar. Nem sei até quando. Mas, ele disse que não demora e eu acredito. É preciso ter fé nessa vida. Eu preciso ter fé nessa vida.
Tenho tido pensamentos sombrios e não consigo dormir à noite. E sabe o que é pior? Não consigo fazer nada a respeito e depende – unicaexclusivamente - de mim.
Vou naquela médica lá no começo do mês que vem e pedirei ajuda. Sozinha, não tô conseguindo. E não tô conseguindo faz é tempo.
Devaneios, pessoal. Nada demais não. A quem interessar possa, eu tô bem. Como há muito não me sentia. Isso aí dos pensamentos (e das coisas que preciso cuidar e resolver e consertar) é um parêntese e é deveras chato e complicado. Mas, não faço disso (ou tento não fazer disso) o centro do Meu Universo. É só um pedacinho de um todo muito maior que, no geral, tem sido muito feliz. Deus conserve.

9 comentários:

A Moni. disse...

É que...
Se no final, der tudo certo, não importa o emaranhado dos pedacinhos...

Boa sorte em cada um deles!

Bom feriado!

Briza disse...

e nem é feriado aqui, ó.
=T

brigada pelo boa sorte!
é sempre bom, né?

Violeta disse...

Isso é coisa tpmática né não ?
tô sentindo aqui igualzinho...
=/

Briza disse...

é não.
é do meu próprio ser, da minha própria pessoa, sabe?

Violeta disse...

vai passar
vai passar
eu torço daqui
podexá
=*

Anônimo disse...

home sweet home

so beutiful

=)

seu anonônimo predileto

Briza disse...

passará.

i <3 you, anônimo.

Vanessa disse...

Deus conserve,sua lucidez..pq vc escreve com o coração e eu me indentifico por demais..
:)
ADORO!
:*

Aline disse...

Pedaços.
A gente embaralha. Mas é feliz, feliz.
É não?