quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Sobre esse cansaço.

Empurrar pedra ladeira acima. Sentar com ela apoiada nas costas e não dormir, pra não ser atropelada por ela de volta. Vigília. Vigília de dias, meses, anos. Os olhos ardem, o corpo dói, a cabeça lateja. E os sentimentos não encontram mais ordem. Nem os pensamentos. Na cabeça, uma bagunça só. E você tenta arrumar, enquanto empurra a pedra ladeira acima. Se concentra no que dói, no que alegra, no que faz chorar, no que faz sorrir. E chora e ri. E não sente nada, além de uma letargia, porque sentir também cansa e você sente tudo gigante, imenso, intenso. Maior que a pedra ou, talvez, seja a pedra que você empurra ladeira acima. Aquela história do peso do mundo nos ombros. Mas, é o peso de uma pessoa só: você. Toneladas. Se fosse só o corpo. Mas o corpo é pena, o que pesa é a alma de chumbo. 

2 comentários:

Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Giseli Alves Pereira disse...

Hum... interessante! ��