segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

Eu te escrevi uma carta ontem à noite.

Em pensamento. Nela, te confessei os meus erros. E te confessei também o meu amor. Ou coisa que o valha. Porque é difícil se nomear o que não se entende. E eu não entendo o que sinto por você. Mas, a verdade é que não consigo escrever o teu nome na lista do não-querer.

4 comentários:

Morganna disse...

cartas é um querer-bem e a gente não esquece. :*

Briza disse...

esquece não, ó.
mesmo que jogue fora, mesmo que queime, mesmo que.

Fabiana disse...

Nossa!
Que coisa linda, até deu frio na barriga!
ave!

Briza disse...

eita!