segunda-feira, 23 de junho de 2008

E chove.

Como chove toda noite de São João. Tá, não sei se é toda, toda. Mas, na minha lembrança é assim sempre. E o céu fica cinza de tanta fumaça. Fogos e fogueira. Nariz entupido e espirra-espirra de alergia.

Acho que é a primeira vez em anos que fico em casa, assistindo filme e fazendo de conta que é um dia como outro qualquer. Porque não é. Porque o clima é outro. E porque desde 99, 23 de junho é também aniversário de Fredy, Tutu.

Ano passado, ele tava em Brasília. Esse ano, ele tá aqui, mas gente não conseguiu se encontrar no dia de hoje. Tão esquisita uma coisa dessas e ao mesmo tempo, nem é. Melhor não aprofundar o pensamento, melhor não seguir nessa direção, porque hoje não é dia pr´essas coisas.

Talvez, não haja dia pr´essas coisas e eu deva parar de pensar tanto sobre tudo o tempo todo. Cansa demais coisa dessas. Exaure. Exaure existe? Deve existir.

Pra completar, continuo com essa dieta descarboidratada e não posso comer nada que quero comer. Milho, não pode. Canjica, não pode. Os bolos todos, também não. Ou seja. Ir dormir, né?

E já que o clima é de desabafo reclamativo: sempre sonhei em ser rainha do milho e nunca consegui. Nem quando levei a minha própria coroa. É que a quadrilha demorou demais, eu tinha que trabalhar no dia seguinte... Acabou que dei de presente pra Dona, a Ellen e nunca mais vi. Nem a coroa, nem ela.

4 comentários:

Dona Ella disse...

Moça brizeida..
fugimos para o mundo das rainhas do milho!
vamos ser rainhas nesse São Pedro?
Eu e Laura estamos no Pátio de plantão (trabalhinhos absurdos)...
Prometemos recebê-la com honras e coroas!!!!
vem!!!

beijo

Wagner Marques disse...

ah, já pra minha irmã foi a maior frustração dela ser a rainha do milho...

Briza disse...

oxi, por que?

Ju disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk...ri demais...nem quando levei a coroa foi boa...kkkkkkkkkkkkkkk...