sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Circiris.

Quando ela foi pra São Paulo, fiquei pensando em como é que podia uma menina pequena, viver numa cidade tão grande. Como se não soubesse que ela é muito maior do que parece. E cresce e se expande, de um jeito bonito de se ver. Lia as novidades naquele blog secreto e me preocupava com as saudades tantas. Principalmente, daquele menino que é tão feitinho pra ela. Aí, chegou o tempo de ficarem juntos, os dois. Colorindo uma cidade que é cinza. E ela me mandou as fotos da casa que é deles, assim, no plural. Pra que eu visse e dissesse alguma coisa de mim, porque sente amor e falta. E o que tenho pra dizer é que também sinto amor e falta e que fico feliz por ela estar feliz e realizando os sonhos todos. E sim, quero dormir no sofá oferecido, quero estar perto, quero que ela mexa no meu cabelo, enquanto conta histórias mirabolantes, enquanto ouve histórias mirabolantes. Porque somos moças de histórias mirabolantes, nós. Sendo que ela usa colares e eu não.

3 comentários:

Tarso Loureiro disse...

E ela escreve bem como vc? Pq se sim, vcs poderiam escreve-las num livro, né? A Morganna já apoiou a idéia. Aposto que os demais seguidores tb.
Vc sabia q o Nick Hornby (q escreveu o excelente "alta fidelidade") fez seu primeiro romance já tarde, com mais de 30 anos, e contando apenas sua relação louca com o Arsenal (time inglês)? E q ele fez sucesso pelo mesmo motivo q eu acho q vc faria: escreve facil e fala de coisas pessoais q são sobretudo humanas. No caso dele num universo bem masculino, no seu feminino (aliás reparou q só tem eu e o isaac como seguidores homens?).

Espero q a babilonia paulistana te trate bem, o q não é comum, mas vc merece...

bj

circiris disse...

um post com meu nome. na verdade, não é meu nome porque eu não me chamo circiris. mas é o nome que tu me deu e que eu visto sempre que falo com você.

ai, biribribri... acho que tu entende bem toda essa felicidade que anda invadindo a vida, a casa nova e os pensamentos meus ne? tu sabe da historia toda, desde faz tempo, desde quando era e não era mais, e voltou a ser. e agora é! vivaaa...

o sofá e eu esperamos que você não demore muito a aparecer. mas esperamos indefinidamente.

saudade muita. um beijo no coração!

ps - mocinho do comentário anterior: a paulicéia tem me tratado muito bem. gracias! ;)

Tarso Loureiro disse...

Circiris, fico feliz de saber que essa cidade que outrora recebia tão bem seus visitantes ainda é capaz de tratar bem quem vem pra cá construir sua vida. Eu tb aproveito muito seus tesouros, mas moro aqui desde sempre, e portanto sei suas manhas e atalhos...