quinta-feira, 13 de março de 2008

Inspira, expira.

É estranho andar pelo mesmo jardim de mãos dadas com um novo senhor do castelo. O tempo é outro, mas o espaço quase não mudou. De olhos fechados, sei o que encontro se esticar o braço ou der dois passos pra esquerda. Aí, o Antes invade o Agora sem cerimônia. Sente-se em casa, senta e fica. O peito se enche de lembranças e mal consigo respirar.

A verdade é que quero-muito-preciso aprender que é igual, mas diferente.

2 comentários:

Aline disse...

Ó, que eu até chorei!

Thata disse...

*bonito à beça*
sempre que eu venho aqui leio algo que eu queria dizer.
beijo!