sexta-feira, 14 de março de 2008

Aí, você fala isso e aquilo.

Eu ouço, sem dizer palavra. O que me vem à mente, o que fica ali, na ponta da língua, ia lhe parecer agressão. E eu passo. O problema é que fica latente, não adormece. Tarde da noite, olho pra você e a minha vontade é de falar que a minha opinião é. Mas, sinto tanta ternura, tanta doçura e penso que não é justo pintar um quadro feio, da paisagem que lhe parece tão bonita. Pego o pensamento pela mão e levo pra longe desse campo minado. Contigo, quero passear mais leve.

2 comentários:

Janaina Staciarini disse...

:)
Tão bom passear leve. Por caminhos coloridos. Mas ó: não guarda tudo não viu. Porque flores, elas murcham. E, eventualmente, fedem.

Cris* disse...

lindo lindo. consegui imaginar as palavras criando a cena. mas me vi nas cenas. vivo algo parecido.
bj