segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Do que não tem fim.

Sempre vai faltar ser alguma coisa, fazer alguma coisa. Sempre.
E é pra lá que se olha, que o dedo aponta.
Todo resto, não é suficiente.
Nunca foi, nunca será.

3 comentários:

Tatit disse...

não basta pra quem? saudade das suas linhas ali no meu email.

Briza disse...

pois é.
pra quem, né?
=)

amor.
dou notícias já, já.
deixa só aquietar o coração.

descompassada disse...

ciclo que recicla que declina que inclina... quadrilha, não tem jeito, querida.